GALGO EM APARTAMENTO?

Por: Debora ♥ Zé Magrelo

Segue um e-mail que recebi e apesar de já ter dado a minha opinião (via email) eu gostaria muito que vocês também opinassem, afinal um dos propósitos do blog é o de dividirmos nossas experiências. Comentem!!!


"Caros amigos,
Meu nome é Juliana e moro em Curitiba.
Meu noivo é apaixonado por Galgos e quer muito ter um!
No entanto, a gente está meio reticente por conta de algumas questões, que eu gostaria de esclarecer com vocês, que realmente amam esses animais, ao invés de com criadores que, muitas vezes, estão apenas interessados em lucro.
Nós moramos em apartamento, e temos uma cadelinha pequeninha. O galgo poderia morar em apartamento?

A gente passa o dia todo fora, mas a noite sempre saimos com a pequeninha. Eles podem conviver com outros cachorros???


Muito grata pelas informações,
Abraços,
Juliana


P.S.:
Na ilustração, optei pela foto da Medley com seu irmãozinho Joe, que também são de Curitiba! Quem sabe a Juliana e seu noivo não combinam um encontro com a Medley e sua família... seria legal, né?
Update:
Veja o que estão dizendo os whippets que moram em apartamento:
Goober

2 comentários:

  1. Mauricio, Claudia e Medley17 de março de 2009 20:06

    Opa gostamos da foto.. ehhee...
    se tiver o e-mail ou endereço dela... eu falo com ela e marcamos um encontro.. ehhe

    lambeijocas

    Mauricio, Claudia e Medley

    ResponderExcluir
  2. Juliana,
    Nós moramos em apto pequeno e, de quebra, temos uma filhinha de 1 ano e 3 meses. Imagina a bagunça!
    Os Whippets se dão super bem em apto, desde que sejam exercitados e estimulados. Um belo passeio de manhã e outro à noite são suficientes. A companhia de outro cão é o estímulo ideal para os donos que passam a maior parte do tempo fora de casa (trabalho).
    Mas (tudo na vida tem um mas) os Whippets, até os dois anos, mais ou menos, são MUITO levados, muito mesmo. A lista de coisas que a Suzie destruiu em casa é praticamente interminável (nem vou postar aqui, ia virar um post). Eu confesso que não via a hora dela virar adulta e, enquanto isso não acontecia, me desdobrava pra inventar coisas pra que ela não destruísse mais nada; pra que ela ficasse sempre estimulada.
    Hoje em dia, aos 4 aninhos, ela é um sossego: adora tomar sol, dormir, roer seus ossinhos, passear (passeios longos de 40 min a 1h) e brincar com a Letícia. Com a Letícia ela meio que voltou a ser filhote, mas não destruindo as coisas, só mesmo sendo mais brincalhona.
    Quanto a conviver com outros cães, eles se dão muito bem com seus companheiros de quatro patas, ainda mais vivendo com eles desde filhotes. Só são meio estabanados.
    Uma dica valiosa: castrar o cão ainda filhote (até o sexto mês): além de prolongar a vida dele em alguns anos, evitam-se vários problemas sérios de saúde, como câncer de mama, útero, ovários, próstata e problemas na bexiga, além de melhorar incrivelmente o comportamento (e, nesta fase, o cão não engorda).
    Precisando, entre em contato!

    ResponderExcluir