Você pergunta, a Ful responde: Acalmando o cão


Quando temos um cão com uma condição especial (seja após uma cirurgia, seja devido a um problema de saúde) ou, simplesmente, quando queremos que ele sossegue um pouco pra podermos fazer alguma coisa, é interessante ensiná-lo que ficar quieto em um cantinho todo especial é maravilhoso. Mas, como fazer isso?
Sempre que o cão estiver sossegado, brincando calmamente com seus brinquedos, recompense-o. E muito. Seja com petiscos, carinhos ou uma bela de uma massagem (a Suzie AMA uma massagem, faço sempre nela, um momento de nós duas). Quando se tem um clicker, obtem-se um resultado melhor: sempre que estivesse sossegado, clique e petisco. Aos poucos, pode-se começar a introduzir o comando "relaxa" (simplesmente, quando ele estiver relaxado, você começa a dizer "relaxa" e premia-o. Quando ele estiver fluente, pode testar: fale "relaxa" e, se ele deitar ou sossegar, ele entendeu o comando. Se não, trabalhe mais o comando).
Mas, faça do cantinho dele algo muito, mas muito agradável mesmo: coloque brinquedos que o estimulem mentalmente, e não fisicamente: kong, caixas que soltam petiscos e/ou ração, ossos diversos, fio dental. Coloque uma caminha fofinha no cantinho, com cobertas e, se possível, com uma roupa com seu cheiro (não tenho feito mais isso, Suzie está super acostumada a ficar relaxada no seu puf - e eu adoro sentar ali com ela e ler, sempre que a Letícia deixa).
Com o tempo, o comando "relaxa" vai significar que ele vai descansar ou, simplesmente, acalmar um pouco: uso muito nos passeios com a Suzie, quando ela se empolga demais. Digo "Suzie, relaxa" e ela acalma mesmo, diminui o passo.
Na foto: Suzie no comando "relaxa" pra sair bonitinha na foto com a Lê =P

Força para o Vitinho


Amigos, dessa vez quem precisa de uma força é o nosso cãofrade Vitinho, o mini-Zé..rs vocês lembram dele?

Olha ele aqui ao lado da sua mamis, Luciana, e do Zé.

Então, ele está dodói.. sua mamis descobriu que ele está com uma hérnia de disco bem chatinha.. mas logo estará melhor.


Como podemos ajudar:
  • Indicando veterinários que fazem acupuntura, alguém já fez? Os resultados são excelentes, não são? Mamis já indicou minha vet, mas informação nunca é demais.. por isso todos podem indicar, ok?
  • Relatando fatos parecidos, você conhece algum magrelo com problema de hérnia de disco? A cirurgia foi necessária? Será que isso é comum ou o Vitinho realmente deu azar? (Pati, você pode ajudar também, o Tibi e a Tuca (amiguinhos Pinschers do Zé) não são galgos, mas não deixam de ser magrelos..rs e você já passou por uma experiência parecida com o Tibico, né?)
  • Fornecendo dicas do que a Lu pode fazer para evitar que o Vitinho pule tanto daqui pra frente, afinal ele não poderá abusar dos pulos. (Fúl.. acho seria um bom tema para o "Você pergunta, a Ful reponde"..  Como manter um cãozinho em repouso? Como seguir a orientação do veterinário e evitar que seu cão pule ou faça movimentos bruscos para evitar problemas de saúde? Acho que você pode entrar em ação e nos ajudar nessa parte, né?

    Leiam abaixo o email da Lu, mamis do Vitinho:


"Oi Dé, tudo bom? Espero que o encontro de 1 ano da confraria tenha sido ótimo!
Aqui é a Lu, mãe do Vito (mini Zé). Estou escrevendo para pedir ajuda, se possível.
Desde a quarta-feira à noite nosso Vitinho está mal. Cabisbaixo, triste e com muita dor; demos analgésicos e levamos ao veterinário. Depois de uma maratona de exames (hemograma, urina, ultrassom, 3 raio-x) parece que finalmente descobriram o problema: ele está com infecção urinária, decorrente de uma hérnia de disco bem séria, que está comprimindo o sistema nervoso e o trato urinário, além de causar muita dor a ponto dele não andar.
É a segunda vez que ele tem infecção, mas na primeira não tínhamos detectado o problema. Segundo os 3 veterinários que ele passou, o problema das infecções será crônico e a real solução seria intervenção cirúrgica ou, paleativamente, tentar um tratamento com acupuntura. Além disso, teremos que evitar os pulos dele (o que nos parece impossível) quando ele estiver melhor, senão desencadeará o problema.
Estamos arrasados em casa de vê-lo no estado abatido em que está. Nem para urinar ele consegue ir sozinho e só em tocá-lo ele já grita de dor. Recorreremos a qualquer método que nos informarem, a começar pela acupuntura assim que ele melhorar.
Você conhece algum veterinário acumpunturista para nos indicar? Será que o magrelo de alguém do blog já passou por problema parecido e poderia nos dar orientação?
Desculpa tomar seu tempo, mas nosso Vito tem apenas 1 aninho e é a alegria em forma de cão, e só pensar nas restrições para ele daqui pra frente nos enche de amargura...
Obrigada e beijos a você, Zé e a TODOS!
Bom, gente.. eu tenho certeza de que logo o Vitinho estará melhor, sei que a acupuntura faz milagres e a Lu não vai poupar esforços nos cuidados com o Vito.

Conto com todos vocês, nossos comentários, relatos de experiências vividas ajudarão e muito, principalmente a acalmar a Lu..rs Nessas horas a gente se sente perdido, não sabe nem o que fazer e quando ouvimos a história de alguém que já passou por isso as coisas começam a clarear, não é?

Um beijão para todos.

Resultados do Primeiro Encontro dos Galgos da Bahia

Nosso Encontro foi super gostoso!!! Até São Pedro ajudou: sem sol demais e nenhuma chuva; o tempo estava fresquinho para os nossos magrelinhos e seus papys e mamys. Tivemos a presença de 8 galgos, sendo 3 Whippets e 5 Galgos Italianos; a figura marcante foi a jovem Fiona, de três meses... uma pimentinha... deu “carreira” em todo mundo... divertidíssima! Sua mamys Mila levou uns biscoitinhos deliciosos, que foram distribuídos pelos convidados (cães e humanos); na saída, distribuimos alguns brindes... hmmm! Não vou contar não... quem foi sabe... quem não foi, vai tentar ir da próxima vez. Agradecemos muitíssimo a presença de Anita, Fiona, Roma e Troya, Faísca e Gorda, Lili e o Zinho. Ah! Agradecemos também as presenças de seus proprietários Lívia, Mila, Rodrigo, Sara, Lulu e eu mesma!!! O Jaime esteve conosco, sem seus cachorros, que, com certeza, virão da próxima vez. Agradecemos, também a Dra. Joelma, que não pôde trazer seu Pepito e ao Iésio, que também não pôde trazer a Nazira, ambos por causa da chuva; a Pati, que não pôde trazer a sua Zuzu e ao Gonçalo que só leu o convite depois; mas todos esses querem muito participar do próximo encontro! Ah! A Natália não trouxe o seu Bento, porque está em São Paulo. Só temos a dizer a todos os outros, que não puderam vir e também não puderam entrar em contato conosco, que a presença deles no próximo evento continua sendo muito, muito importante. Preciso agradecer, ainda à gentil Eliane Leão, coordenadora de eventos do Parque de Pituaçu, por ter disponibilizado o Dendezal para o nosso encontro. Ficamos todos tão animados, os magrelinhos se divertiram tanto, que pretendemos fazer novo encontro, desta vez, antes do Natal, na forma de um amigo “au”culto entre os cachorros. Vão pensando nisso... Enquanto isso, vamos mantendo contato e animando ainda mais este Blog.

Início do evento, com o Zinho, a Anita, a danada da Fiona e a Lili.
Zinho estava nervoso com todo esse mulherio...
Um desfile básico, ao redor do lago, pra movimentar um pouco o ambiente.

Final do Encontro, já com todos os oito participantes: Fiona, Lili, Anita, Gorda, Zinho, Faísca, Troya e Roma (espero ter acertado todos...).
Abaixo, video de uma certa "pimentinha" brincando com Zinho; quase não se vê Fiona, de tanto que ela corre, fazendo Zinho de bôbo... homem é besta, né?

video

Samantha na TV - a Odisséia

Enviado por: Ivany e Samantha
Olá pessoal (Ded, Zé e outros que entendam as liberdades da estória)
Samantha aparecerá no programa do Otávio Mesquita "a noite é uma criança"
segunda, terça, quarta, quinta, sexta e acho que sábado tb.
a mulher que acompanha a sammy todos esses dias e que aparece com uma camiseta branca TAMANHO GG (mais parecia uma burca do pescoço para baixo o que fez a tal senhoira parecer um porpetoni branco) sentada em uma cadeira "maravilhosa"(quem inventou a cadeira deveria ser condenado a sentar nela durante a vida INTEIRA....) sou eu.
mas voltemos à Sammy que estava maravilhosa - exceto na primeira gravação, acho que foi a da segunda..? que ela quase comeu a câmera pendurada na grua que chegou muito perto dela e rosnou para o Otávio...aí pensei.. vai dar caca...por pouco. Então sugeri que esperassem e colocassem as câmaras aos poucos e devagar em frente à sammy e aos galgos grandes para eles se acostumarem e não se assustarem.
depois disso a coisa caminhou mais para o legal.
mas meu estomago doeu de preocupação e assim permaneceu dutante bom tempo.
no final, acho que nas duas últimas horas..(foram 5 horas) de gravação, os cachorros já cansados, a Sammy namorando o filhote do Otávio, que depois acabou no meu colo enquanto a namorada dormia em pleno programa e eu virei "sogra" sentada feito buda na maldita cadeira de cubinhos furados...,descabelada, menos tensa sem maquiagem. o cachorro do Otavio, meu genro, lambeu tudo, ainda parecendo um barril branco, mas acomodada pensando, seja o que Deus quiser......tá para acabar....
Olhei para a Débora entalada lá em cima .. acho que num baldaquim infantil com três cachorros tentando esticar as pernas que mal alí cabiam.. bem depois vou conversar com ela para ver se sobrou algo inteiro..rsrsr
bom...voltando ao meu genro, o malandrinho acabou dormindo no meu colo e nada de sair... deu um pequeno piti, (já tem dotes de astro) até o segurança do Sr. Otávio.. um considerável armário vir tira-lo à força do meu colo.
Após ..saimos todos, devolvi a burca branca para a assistente dele, e os outros devolveram as deles com o logotipo do programa (devo dizer que a equipe do Otávio é maravilhosamente gentil)...e fomos embora, Débora, Zé , Panqueca e Chanel. Outro whippet que não me lembro o nome da Monica, os galgos brancos , os picolo levere, o outro whippet tarado que queria comer qq um que passasse na frente dele, inclusive o whippet do Otávio, o que gerou um pequenino estress logo resolvido colocando ele nos meus braços - foi aí que ele namorou a sammy- mas certamente não teremos um whippetluki.. voltando.... o whippet do japonesinho que já já vai parecer com o dono de tanto que se amam... todos cansados, esgotados, arrastando os cachorrinhos e cachorrões pelo caminho até os carros.... e desesperados por um banho e cama.
no caminho me perdi no Morumbi...basico, não ...e cheguei em casa as 22:00 a Sammy comeu, bebeu, fez xixi e acordou hoje as 16:00hs.
Eu, as 10:00 estava fazendo fisioterapia pq adquiri dois caroços na coluna.. um no final (quase lá) já curado e outro no meio das costas (sento de lado) ainda em trabalho de parto.
resultado.. amanhã quem me levará ao canil, pois é imperioso que eu vá, será o chofer do Egas, por empréstimo..(graças aos deuses o Egas ter chofer. taxi até lá é uma fortuna)
pois é...
isso foi samantha na TV...
o programa passará à 1:00 da manhã
a semana inteira
agora preciso aprender a gravar programas de TV...até lá...
bjs
ivy

Encontro 25 de outubro SP

É amanhã..
Nos reuniremos na Praça Professor Aureliano Pimentel às 10h 
Rua Carlos de Mesquita, travessa da Francisco Morato
••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••••


Amigos, o nosso encontro vai rolar.. dia 25 de outubro, domingão próximo.
Só estamos em dúvida quanto ao lugar. Dessa vez algumas pessoas pediram um encontro menor, menor e mais rápido.. eu inclusive prefiro assim, não muito cansativo para nossos magrelos.
Então pensei em fazer um encontro mais voltado para os cães do que para os donos (aliás sempre deveria ser assim).. encontro de cachorreiro mesmo, todos vão, os cães correm, os humanos papeiam e pronto. É preciso mais?

Pesquisei alguns cachorrodromos na cidade, encontrei um que me parece legal
1º) Cachorrodromo Redondo -
Pertinho do Ibrirapuera, Círculo Militar, grudado no Clube de Aeromodelismo, é uma área cercada onde são realizados encontros frequentes pelo pessoal do Cão Solidário.
Conheçam o local atráves de várias fotos dos encontros realizados por eles no próprio site Cão Solidário  ou clicando aqui 
Veja o vídeo Vista 360º do Cachorródromo


2º) Praça Professor Aureliano Pimentel no Morumbi/Butantã (optamos por esse local, pois uma turma de cachorreiros estará no cachorródromo do redondo)
Esse é um verdadeiro achado.. uma área cercada numa praça no Morumbi, quase ninguém conhece e vive vazia. Só a Panqueca e Dona Chanel que vivem fazendo a festa por lá!

Quem nos deu essa dica já há tempos foi a Beth, nossa Confrade, aliás a primeira a se inscrever no Confraria dos Galgos, está conosco desde o 1º dia.
A Beth frequenta essa praça,  pouco conhecida, com seus tesourinhos, Panqueca e Chanel e irá postar algumas fotos aqui pra gente. A entrada fica na Rua Carlos de Mesquita, uma travessa da Francisco Morato.

É bem fácil de achar, para quem foi no Incão, fica a duas quadra de lá..
É só seguir a Francisco Morato e entrar na rua Carlos de Mesquita.



O que vocês preferem? Eu estou bem em dúvida e quero conhecer os dois, por mim decidimos um para o encontro do dia 25, e já deixamos o outro local engatilhado para um próximo encontro.
O legal é que nessa brincadeira passamos a conhecer alguns cachorrodromos de SP, se você conhecer mais algum, nos indique.
Pessoal, esse será o encontro mais cachorreiro de todos, nada de fricotes para os humanos, vamos apenas nos reunir e por os corredores em ação.
Será rápido também, algo como das 15h às 17h ou das 10h ao 12h se preferirem.. mas é lógico que podemos ficar mais, vai depender do pique dos magrelos.
Só tem um porém, ambos locais são abertos, se estiver chovendo será automaticamente transferido para o outro domingo.
Mas se Deus quiser estará muito sol e todos poderão ir bem à vontade.. bermudão e chinelão no pé ! E protetor solar nos focinhos, lembra o Zézão.
Esse é o Encontro do Pessoal da Confraria dos Galgos, onde todos que se comunicam por aqui poderão se conhecer.
Beijão pra todos!

Antes fosse assim..

Começando o dia com um desenho bem legal que achei na net
AMEI o desenho, mas vale lembrar que um galgo, ou qualquer outro cão jamais ficaria com essa carinha de satisfeito diante de um humano nessa situação, mesmo que fosse o pior dos humanos.

ZARAH CAÇADORA

Por: Rosana, 'mãe' da Zarah.

Olá amigos cãofrades, todos nós sabemos que os galgos são cães de caça, mas nossos galguinhos cuidados a pão de ló que só passeiam nos parques com suas bundinhas magrelinhas, são tão dóceis que não podemos imaginá-los sendo agressivos ou caçando.
Bem a Zarah que já é conhecida de vários cãofrades, esta manhã nos aprontou uma, enquanto estávamos dormindo ela desceu bem quietinha e não fez nenhum barulhinho, só ouvimos uma cadeira dando uma arrastadinha, resolvi descer para ver se estava tudo bem, lá estava ela sentada parecendo uma esfinge egipcia com uma coisa preta no meio das patinhas, quando fui chegando mais perto pude ver um pobre coitado de um pardal todo despenado e várias penas espalhadas por todo o sofá.

Fiquei desconcertada e corri para cima para acordar o Marcos e falar que a Zarah havia caçado um passarinho. Então ela chegou no quarto e depositou  sua caça aos pés do Marcão, não tivemos coragem de repreender pois ela estava super orgulhosa de sua caça e ficou esperando algum tipo de festa, o passarinho não tinha sequer um corte ou furo e já estava metade sem penas.

Recolhemos o pobre passarinho e chegamos a conclusão que séculos de extinto e código genético nunca seráo reprimidos por coleiras e almofadas, o extinto caçador permanece latente. A Maya nossa outra whippet, que é mais velha e a líder, neste momento permanceu submissa pois a caça não era dela.

A partir deste momento ficaremos mais ligados com pássaros pelo parque pois já sabemos que ela é capaz de caçá-los.
beijos alegres e saltitantes a todos

Convite 1 Encontro dos Galgos da Bahia


O maior parque de Salvador, 15 km de trilhas pavimentadas, restaurantes, parques infantis, quadras poliesportivas, quiosques, esportes náuticos, museu a céu aberto (espaço Cravo), e muita, muita área verde preservada. Fica a 10 minutos da Região do Iguatemi, 15 minutos do Aeroporto e a 'zero' minutos da praia... (é só atravessar a rua). O Parque Metropolitano de Pituaçu, reserva de Mata Atlântica e refúgio da fauna de Salvador, foi criado pelo decreto 23.666/77 do executivo estadual. Dos 660 ha originais, são preservados atualmente 440 ha, com uma lagoa de 4 Km de extensão e 200 mil metros quadrados de espelho d´água, circundada por uma ciclovia de 18 Km de extensão.


COMO CHEGAR

Parque Metropolitano de Pituaçu - Rua Manoel Antonio Galvão, s/nº - Pituaçu - (71) 3231-2829
Vindo pela Otávio Mangabeira, pegar o retorno logo após o Circo Picolino; estacione na frente (veja setas amarelas), fica mais perto.
O local do Encontro, fica à esquerda da entrada principal, na beira do lago, num gramado à sombra de um belo dendezal (veja seta vermelha).
Aguardamos você e seu(s) galguinhos(s) lá!

Lidando com o cão que rouba comida

Começando a nova fase do "Você pergunta, a Ful responde", vou responder mais detalhadamente a dúvida da Mila. A próxima dúvida a ser respondida será: O que fazer em caso de briga?
Dé, sua dúvida eu vou ter que pesquisar mais, tá bom? Mas ela será respondida, com certeza!

Vamos ao texto então =)

Estou cheia de dúvidas aqui e preciso de uma mãozinha de vocês. Não sei quantos já passaram por isso, ou se ainda convivem com esse problema, mas é que Fiona anda querendo comer o que não pode. Ela sobe na mesa, quando ninguém ver. Pede comida o tempo todo quando nos vê comer, e chora, e arranha. E não é por que ela tá faminta, não! As vezes, sei que não é o correto no tocante ao treinamento, mas procuro dar comida a ela antes de eu comer e ela pede do mesmo jeito!

Queria muito que vocês me ajudassem, já tive cachorros que faziam o mesmo, mas os galguinhos conseguem pular. E isso não está fazendo bem pra saúde dela, ela já vomitou algumas vezes. Já teve ressecamento de fezes, e muitas vezes, nem conseguimos descobrir exatamente o que ela "roubou"! E sei ainda que alguns alimentos, a longo prazo, podem prejudicar os rins e outros órgãos.

Sou muito inexperiente com cachorros, cuidei mais deles quando criança, a responsabilidade maior não era minha. Me ajudem, porfavor!
Um grande abraço e conto com vocês!

Roubar comida é algo em que os cães são realmente bons, além de ser um comportamento auto recompensatório (ele vê a comida, pega e ela é uma delícia: pronto, ele mesmo se recompensou pelo ato de comer).

Cães que são punidos por roubar comida geralmente não roubam comida na presença dos donos, para evitar broncas, e não porque eles acham que o que estão fazendo é errado.

Então, se para os cães não é errado roubar comida e eles gostam dela, o que podemos fazer pra proteger nossa comida? Veja algumas dicas:

  • Mantenha a comida fora do alcance. Uma solução simples e eficaz. Não deixe comida na pia ou na mesa: muito tentador para o cão. Guarde em locais altos ou dentro da geladeira e/ou forno.

  • Alimente bem o cão. O cão pode estar motivado a roubar comida por duas razões: fome ou o atrativo da comida. A fome pode ser “morta”, mas comida boa é sempre comida boa. Ajuda dar uma boa refeição ao cão antes dos seus amigos chegarem para jantar.

  • Treine o cão para “largar”. O melhor método é usar o “Zen canino”. Para saber como funciona este treino, clique aqui. Lembre-se: nunca usar punição positiva. O reforço positivo é o melhor método de treinamento.

  • Punição despersonalizada. Se algo desagradável acontecer quando o cão roubar comida, pode fazê-lo parar de tentar. Não é necessário nenhum aparelho ultra moderno. Com a Suzie eu bolei umas "armadilhas". Colocava uma tampa de panela em cima (ou na frente) do prato com comida (lógico que eu em casa, pra Suzie não comer mesmo). Quando ela subia na pia, ou na mesa, pra comer a comida, caía a tampa de panela (algumas vezes eu grudava duas ou mais tampas de panela, com barbante e durex... risos. Era uma barulheira...). Isso pra despersonalizar a punição, afinal, a gente quer que os cães não roubem comida nunca, não apenas quando estivermos por perto, não é mesmo? Tb coloquei a máquina pra filmar, pra ver como estava indo. Com o método de deixar filmando, mas vc conseguindo ver de outro cômodo da casa, pode tocar uma buzina, corneta ou usar uma lata com moedas pra fazer barulho no momento em que ele vai roubar a comida (um pouco antes, não quando ele já estiver com a comida na boca: timing é tudo!).

  • Restrinja o acesso do cão às áreas que tenham comida. Pode parecer ridúculo falar isso, mas muita gente esquece de não deixar o cão ter acesso a lugares com comida (vocês jantando e o cachorro lá, pedindo comida, pulando na mesa...). Arrume um lugar confortável para o cão ficar, e com entretenimento também. Ofereça brinquedos que você possa esconder comida dentro: são os melhores; ossos, esconda petiscos, essas coisas. Você também pode ensinar seu cão a ir para a caminha (saiba mais aqui) enquanto você faz um lanche, sem ele ficar com aquele olhar pidão. Aqui em casa, quando comemos, a Suzie fica na caminha dela (no puf dela, na verdade). Não atrapalha, fica feliz com seus brinquedos e podemos comer sossegados.

Outras dicas

Quanto seu cão pede comida, em algum momento você dá a comida pra "ele não encher mais"? Muuuuuita gente faz isso, direto, mas só está aumentando ainda mais o problema: o cachorro vai ficar cada vez mais e mais insistente até conseguir o que quer. Deve-se ignorá-lo nesses casos.

A Suzie também come antes da gente (existem outras maneiras de mostrarmos liderança, não existe só a gente comer primeiro e depois o cachorro - isso não o tornará dominante). No começo ela pedia, claro, todo cachorro pede. Mas nunca demos.

O que faço é guardar pedacinhos de queijo ou frutas, quando como, e dou a ela enquanto a ensino, mas nunca comigo comendo. Só mesmo depois. Por exemplo: ontem eu e a Lê estávamos comendo melão depois da janta. Guardei um bocadinho pra Suzie e fiz ela trabalhar pra ganhar. Ela tem bem claro que isso é petisco, só ganha depois das refeições. E cuidado com as guloseimas que vc dá a ela. O que é usado aqui: queijo, tofu (sem tempero, claro), frutas, legumes, ovo mexido (sem tempero tb), pão, biscoitinhos caninos. Mais nada.

Conclusão

Nosso trabalho é ensinar ao nosso cão boas maneiras e comportamentos aceitáveis. Treinamento a base de reforço positivo é a melhor maneira de conseguir. Um cão bem treinado é um cão mais feliz e mais bem-vindo nos lugares.


Biscoitinho básico


Confrades, faz tempo que estou para postar esta receita aqui.

Recebi de uma newsletter (váriasss receitas) e vou publicando aqui assim que eu for traduzindo (é muita coisa pra fazer, né?! risos).

Vamos a mais uma receitinha? Essa fez sucesso em casa, acabou rapidinho mesmo!!!! E eu usei uns brinquedinhos da Letícia pra usar de forminha. A foto é dos biscoitos que eu fiz, tá?!

Petisco básico

Ingredientes
¾ xícara de chá de farinha de milho
½ xícara de chá de óleo de soja
3 xícaras de chá de farinha de trigo
1 xícara de água

Modo de preparo
Pré-aqueça o forno. Misture todos os ingredientes e gentilmente os estique até a massa ficar fina. Corte no formato desejado. Asse por 30 a 40 minutos. Espere esfriar e guarde-os em um pote fechado.

CONSERVANDO OS NUTRIENTES DA RAÇÃO

Por Debora e Zé Magrelo

Os maiores inimigos da ração são o oxigênio e a luz, é por isso que muitas rações vêm em embalagens lacradas e laminadas internamente. Mas mesmo com embalagem laminada a ração perderia seus nutrientes, apenas pelo fato de abrirmos e fecharmos o pacote várias vezes, permitindo a entrada do oxigênio.

Não achei o texto que tinha com as orientações de uma veterinária sobre o armazenamento correto da ração, mas mesmo assim vou explicar como eu fazia, seguindo as orientações dela, na época em que o Zé ainda comia ração.
Se você compra pacotes de até 3kg, nem se preocupe, pois em 1 mês a qualidadade da ração não será prejudicada, mas se compra pacotes que durem mais, fique atento.. a ração super premium que você dá para seu melhor amigo pode não ser mais tão super premium assim.
Por ser mais barato, ou melhor, bem mais barato.. eu comprava o pacote de 15kg, nesse caso era preciso armazenar corretamente.
Para conservar a ração bem como seus nutrientes, você deve separar o pacotão em vários pacotes menores, ou seja, a porçãozinha de cada semana num pacotinho.
É trabalhoso na hora de dividir, mas depois é super prático.
Eu separava os 15kg de ração em 15 pacotinhos de 1kg que duravam praticamente 1 semana.
Embale cada porção em filme plástico, eu usava aqueles saquinhos transparentes que usamos para embalar verduras nos supermercados.
Embale retirando todo o ar que puder, embrulhando depois o saquinho com a ração, num papel alumínio.
Guarde em local hermeticamente fechado, escuro e sem umidade. Eu colocava os 15 pacotinhos de volta na própria embalagem da ração, laminada por dentro.
Não deixe o pacote de ração diretamente no chão, nem encostado na parede, guarde num armário, protegido da luz e da umidade.
E se você mora em casa térrea, não deixe do lado de fora, pois além de perder os nutrientes a ração poderá levar algumas doenças para seu cão. Então, nada de deixar ração na garagem ou no quintal.
A T E N Ç Ã O
Não embale a ração em sacos de lixo ou sacolinhas plásticas de mercado, pois estes possuem substâncias nocivas à saúde do cão, embrulhe em plásticos próprios para alimentos, aquele saquinhos de verdura são excelentes.
Com esses cuidados a ração do seu cão se manterá altamente nutritiva e palatável.

Você pergunta, a Ful responde & Adestramento Virtual


Oi pessoas, tudo bem?

As minhas seções aqui no Confraria estão realmente paradas, né?! Acabo publicando outras coisas e me esqueço um pouco delas. Mas, queria uma ajuda de vocês, confrades.

O que vocês gostariam de ver publicado na parte de adestramento virtual? Teoria? Prática? Os dois? Comandos básicos? Comportamento canino? Truques? Dicas? O que lhes interessa mais nesse tópico? Porque não adianta muito eu ficar postando matérias que não são do interesse de vocês, né?! =)

E as dúvidas? Ninguém mais tem perguntado muita coisa, a última foi a Mila, com a Fiona, que acabei respondendo por comentário (mas posso colocar uma matéria só sobre isso).

Vamos lá, estou aguardando sugestões, dúvidas e tudo o mais =)

1º Encontro dos Galgos da Bahia

Olá gente! Não marquem nada no dia 25!!!!!
Este aviso é dirigido a vocês, por serem felizes e sortudos proprietários de galgos baianinhos. Como este Blog estará completando, no próximo dia 25 de outubro, 1 ano, isso é motivo de muita festa, o que vai acontecer, no Rio e em São Paulo; felizmente, uma das confrades da Bahia – a Mila - teve a boa idéia de fazermos uma aqui também, já que temos fama de festeiros e, não só para fazer um eco deste evento, como para formarmos um grupo de “galgos friendly” e nos encontrarmos, vez em quando para proporcionar um “social” entre os nossos magrelinhos e trocarmos algumas idéias.
Estamos organizando um encontro neste dia, que vai cair num domingo e que será no Parque de Pituaçu; vai rolar stand de vendas de “pet coisas”, brindes e sorteios e, mais que tudo, uma porção de magrelinhos desfilando sua simpatia e elegância.

Contamos com a presença de todos vocês, inclusive porque não somos muitos. Por favor, comentem sobre este encontro com todos que vocês conhecem que possuam galgos; de repente, pode haver alguém que não esta na nossa lista. O convite segue posteriormente.

Se quiserem entrar em contato com a gente:
- Mila (milamesmo@gmail.com) – mamis da Fiona
- Claudinha (claudiamor@gmail.com) – mamis do Zinho

Sorteio 'A Noite é uma Criança" RESULTADO

Por: Zé Magrelo
Saiu o resultado do Sorteio para a participação no programa "A Noite é uma Criança" do Otavio Mesquita.
E quem irá conosco conhecer o Tuite (filhinho whippet do Otávio..rs) é a Lola e sua mamis Sabrina.

Lola que mora em Campinas, aproveitará o dia para viajar e fazer novas amizades aqui em São Paulo.
Cãofrades que não foram sorteados, não fiquem tristes.. ouvi mamis falando que logo teremos mais sorteios, ok?

Ahhh.. deixa eu explicar a foto, o print screen não tava funcionando, mamis queria salvar a tela do sorteio e tirou uma fotinho básica.
Parabéns Lola, nos vemos no dia 22.
Tô até vendo.. mais uma magrela pra me fazer pirar..rs

Curiosidades Caninas - Comentadas por 3 galgos!

Mais um textinho que tinha publicado, há mais de um ano, no Loucos por Galgos.

É muito legal, só mesmo um dono de 3 galgos e capaz de fazer isso..rs

Nel comenta, através de seus 3 galgos, diversas curiosidades caninas.

Interessante, instrutivo e hilário.. Genial!!!

Vou colocar só uns exemplos, mas vale a pena entrar no link, pois lá tem muuuuito mais.

Sabia que a tendência que os cães têm de cobrir as fezes com terra, raspando o chão com as patas traseiras, se deve a hábitos adquiridos outrora para camuflar o seu rasto em relação a possíveis inimigos?Há quem defenda que o cão, ao proceder assim, instintivamente, tem uma preocupação sanitária defendendo o meio-ambiente.Se esta última teoria tem alguma consistência, pena é que esse instinto não se estenda a muita gente.
Fonte:http://whippet.no.sapo.pt


Sabia que, segundo estudos feitos nos Estados Unidos, 27% dos donos de cães já tiraram fotos do seu animal com o Pai Natal ou com o Coelhinho da Páscoa?


Sabia que o cão não vê as cores exatamente como nós?Qual a cor da bolinha que devemos escolher para brincarmos com ele? Num relvado, o cão localizará mais facilmente uma bola azul do que uma bola vermelha, pois ele não distingue o vermelho do verde.

Para os cães, as cores verde, amarelo, laranja e vermelho não apresentam qualquer diferença. Para o cão, o semáforo não muda de cor, pois ele vê da mesma maneira o verde, o amarelo e o vermelho. Para que ele notasse a diferença de cores do semáforo, duas delas deveriam ser alteradas para violeta e azul, já que ele consegue diferenciar as cores violeta, azul e verde.Mas não está provado que o cão veja melhor ou pior do que nós. Vê diferente.Este tema está mais desenvolvido aqui: http://whippetp.no.sapo.pt/a_vista_do_cao.htm




Sabia que o cão não possui glândulas sudoríparas? Por isso não transpira. Quando tem calor refresca-se através da língua, arfando, arquejando, resfolegando (haverá mais sinónimos? :lol: )


Sabia que o cão possui umas glândulas junto do ânus que libertam um odor (muito desagradável para os humanos) que serve como forma de reconhecimento entre eles?Assim se compreende a tendência que eles têm de cheirar o “traseiro”, principalmente dos cães desconhecidos. È assim uma forma de apresentação e de cumprimento...
Fonte: http://whippet.no.sapo.pt


Sabia que a maioria dos cães tem um prazer especial de procurar e de comer lixo?É muito provável que façam isso por instinto de sobrevivência e também pelo puro instinto da procura e descoberta, tal como se andassem à caça...
Fonte:http://whippet.no.sapo.pt
Eu já tentei tudo e desisti. Normalmente não sou muito de desistir das coisas, mas já elaborei mentalmente e na prática todas as artimanhas para os meus cães não comerem lixo na rua. Mas todas as tentativas foram infrutíferas. Já lhes dei de comer antes das saídas à rua, insistindo sempre, vá lá comam mais um bocadinho que estão tão magrinhos... mas não adianta. Até dá a impressão que essa refeição lhes abre mais o apetite para o lixo. É assim uma espécie de aperitivo... Já levei ração no bolso e deitei-a no chão sem eles darem conta, mas passam pelas bolinhas com uma cara de tédio como se aquilo é que fosse mesmo o lixo verdadeiro, esse sim, lixo intragável. Passo a vida a ralhar-lhes, enfim, tem sido uma batalha perdida. A solução do veterinário é o açaimo. “Qualquer dia tem um desgosto”, diz-me ele sempre. Mas eles têm um focinho tão comprido e tão fino...que não há modelo que lhes sirva. Uma outra solução é andar com eles lá fora sempre com trelas, mas custa-me prendê-los quando tenho a possibilidade de os deixar soltos sem qualquer perigo durante o nosso passeio de manhã cedo. Nem todos os cães são tão atraídos pelo lixo como estes. Tenho falado com algumas pessoas que também têm cães e não se queixam disso. É que ainda por cima, como eles são escanzelados por natureza, tenho sido considerado vergonhosamente como um miserável que não dá de comer aos bichos. Um dia uma senhora passou por nós e mandou-me a boca com um ar cínico e reprovador “ai coitadinhos, tão magrinhos...”, como quem quer dizer: devem passar fome de rato... “Pois olhe, minha senhora, por acaso eles até comem muito embora não pareça”. “Hummmmm....”, respondeu ela


Sabia que o cão não deve comer chocolate? Um dos ingredientes do chocolate, a teobromina, estimula desfavoravelmente o sistema nervoso central e o músculo cardíaco. Há diversas qualidades de chocolate e o malefício é tanto maior quanto mais elevado for o teor da teobromina e menor o porte do cão. Concretamente, cerca de 150g de chocolate com elevado teor de teobromina podem matar um cão de pequeno porte.Os chocolates não trazem a indicação na embalagem da percentagem desse ingrediente, que se compreende porque se destinam aos humanos e para nós a teobromina é inofensiva. Por isso, desconhecemos esse valor e, por todos estes motivos e mais alguns, nunca se deve dar chocolates aos cães. Os “mais alguns” motivos são principalmente o facto de estas guloseimas conterem quantidades de açúcar muito elevadas. Bom... e não há necessidade, não é?...
Fonte:http://whippet.no.sapo.pt


Sabia que segundo a Bíblia, Noé teria escolhido o Afghan Hound para perpetuar a espécie canina, sendo o representante dos cães na arca de Noé. Segundo estudiosos, essa "lenda" tem seus fundamentos científicos, afinal, a arca de Noé navegou por regiões de onde provém a raça e Noé o teria escolhido por ser um exemplar que levava a "marca divina", ou seja, uma mancha branca na cabeça. Actualmente, os Afghan Hound que possuem essa marcação são super valorizados na Ásia.
Fonte: http://www.dogtimes.com.br/afgan.htm


Sabia que o "Afghan Hound" (galgo Afegão) pertence à família dos galgos asiáticos e provavelmente é um dos ancentrais dos actuais cães de corrida (Greyhounds e Whippets)."
Fonte: http://www.dogtimes.com.br/afgan.htm



LINK DA MATÉRIA:
http://osnossoswhippet.s3.bizhat.com/viewtopic.php?t=19&mforum=osnossoswhippet

SITE DO AUTOR:
http://whippetp.no.sapo.pt/ - Acho que a maioria já conhece, mas para quem é novo no mundo dos galgos, vale a pena conferir.. é um dos sites mais completos e interessantes sobre whippets. Eu sou fãzona do Sr. Manuel desde que peguei o Zé, já vai fazer 4 anos.

Cachorros e Guloseimas

Queridos Confrades,

Estou cheia de dúvidas aqui e preciso de uma mãozinha de vocês. Não sei quantos já passaram por isso, ou se ainda convivem com esse problema, mas é que Fiona anda querendo comer o que não pode. Ela sobe na mesa, quando ninguém ver. Pede comida o tempo todo quando nos vê comer, e chora, e arranha. E não é por que ela tá faminta, não! As vezes, sei que não é o correto no tocante ao treinamento, mas procuro dar comida a ela antes de eu comer e ela pede do mesmo jeito!

Queria muito que vocês me ajudassem, já tive cachorros que faziam o mesmo, mas os galguinhos conseguem pular. E isso não está fazendo bem pra saúde dela, ela já vomitou algumas vezes. Já teve ressecamento de fezes, e muitas vezes, nem conseguimos descobrir exatamente o que ela "roubou"! E sei ainda que alguns alimentos, a longo prazo, podem prejudicar os rins e outros órgãos.

Sou muito inexperiente com cachorros, cuidei mais deles quando criança, a responsabilidade maior não era minha. Me ajudem, porfavor!
Um grande abraço e conto com vocês!

Dia das Crianças


Decidimos dar um presente para os nossos magrelos no dia das crianças e os levamos para o Guarujá. Mas confesso que no fundo quem ganhou o presente fomos nós, eu (Luca) e o meu marido (Pedro). Tivemos muitos momentos emocionantes mas essa segunda-feira, dia da nossa padroeira às 7h30 da manhã na praia da Enseada - Guarujá tivemos um encontro com verdadeiros e felizes corredores Whippets... Sim eles foram feitos para correr, mas com liberdade, sem compromisso, com vida e alegria.

Sim foram feitos para voar, por cima das ondas, contra e a favor do vento.
Talvez minhas palavras devessem estar no confessionário, no entanto quero dividir com todos vocês. Quero partilhar um momento de tanta emoção e amor que é dificil traduzir em palavras.

Que cachorrada! - Super Interessante 08/2007

Manipulação genética causa revolução nos canis: agora as raças podem ser moldadas com base no DNA. Será que isso um dia pode chegar aos humanos?
Texto Pedro Burgos
Eugenia: o termo é definido pelo dicionário como “ciência do aperfeiçoamento da raça”. Lembra os nazistas e a busca de Hitler pela “raça pura” – na visão dele, a ariana. A idéia da eugenia continua sendo praticada no mundo, mas não em humanos. Apesar de muitos deles não gostarem do termo, os criadores de cachorros entendem do riscado. Eles aperfeiçoam as raças, mantêm as características que gostam e separam, descartam ou castram os indivíduos que não se enquadram no padrão.
Agora os criadores de cães têm uma nova ferramenta: testes de DNA. Não mais apenas para conferir o pedigree (espécie de certificado de procedência) mas para detectar se um cão tem as características desejáveis, até mesmo antes de nascer. O whippet, raça magricela da categoria dos galgos, usado em corridas caninas, é a primeira cobaia das novas experiências. Após descobrirem recentemente qual é o gene que faz o bicho mais rápido que outros da mesma raça, os criadores querem criar cães cada vez mais velozes. Cogita-se até fazer uma liga própria para os novos cachorros, talvez os primeiros da era dos supercães. E, se a ciência pode ser aplicada na velha arte da criação canina – bem como em outros animais –, por que não na moldagem de indivíduos humanos? Aí é que mora o perigo.
O lobo domado
Você consegue imaginar um poodle convivendo numa savana junto de leopardos ou um pit bull brigando por alimentos com javalis? Se não dá para visualizar isso na cabeça, há um motivo: os cachorros não existiam na natureza até o homem pegar para criar alguns lobos mais simpáticos. Pode-se dizer que o Canis lupus familiaris – aí inclusas todas as raças – é uma espécie desenhada pelo homem, bem antes do surgimento dos laboratórios ou mesmo de qualquer noção científica.
Diverge-se sobre a data exata (alguns dizem que foi há 15 000 anos, outros há 100 000), mas sabe-se que em algum momento os lobos começaram a se aproximar dos nossos antepassados pré-históricos, provavelmente na Ásia. A teoria mais aceita diz que os bichos gostavam de comer a carniça de animais caçados pelos homens. A maioria dos animais se espantava quando alguém chegava perto, mas alguns poucos não se incomodavam e começaram a rondar as aglomerações humanas. Foram ficando. Os dóceis eram domesticados, os bravos voltavam à selva.
De tanto cruzar lobos bonzinhos entre si, eles já nasciam acostumados com o homem, até porque eram alimentados e bem tratados. Os cães (que ainda não tinham esse nome) desenvolveram uma nova característica, não presente nos lobos: a capacidade de interpretar o comportamento humano. Tendo um animal dócil nas mãos, o homem colocou-o para trabalhar, privilegiando o cruzamento entre cães mais úteis, um darwinismo forçado. “As raças antigas foram criadas porque o homem precisava de alguma função específica. Para isso ele foi cruzando animais com as características desejadas”, explica Dan Wroblewski, veterinário e criador de São Paulo.
Dan cria o border collie, cão que é o resultado do aprimoramento genético desenvolvido ao longo de centenas de anos entre os criadores de gado da Escócia e da Inglaterra. Os fazendeiros foram cruzando raças diferentes até conseguirem apurar a visão, a agilidade e a pronta obediência a comandos de humanos. “Alguns rebanhos na Inglaterra ficam em áreas extensas, de difícil acesso, e só são viáveis por causa do cachorro. Ele tem diversas vantagens: diminui o número de empregados das fazendas, não tem férias e não fica doente”, diz o veterinário.
Outras raças foram desenvolvidas para a caça, para atacar outras pessoas, fazer companhia ou pela simples curiosidade estética e resultaram em animais bastante distintos – alguns de aparência bizarra. Em todo o processo, a mão do homem esteve presente. Ou você acha que do lobo chegaríamos ao pequeno chihuahua sem interferência?
Com a diversidade de cruzamentos e o isolamento geográfico – alguns bichos ficaram por muito tempo restritos a determinadas regiões do mundo – já existem centenas de raças, divididas em 10 grupos segundo uma classificação internacional, dependendo da utilidade original do cão. Nos últimos dois séculos, houve uma profusão de novas raças, mas mais recentemente a ênfase maior é no aprimoramento das já existentes.
O poder do DNA
Atualmente, o “aprimoramento” significa criar cachorros apenas com as características definidas, dentro dos padrões estabelecidos pelas associações de criadores. Se sair em uma ninhada um cachorro fora da cor normal, ou com um comportamento atípico, ele não irá cruzar com outros para não passar adiante um padrão “defeituoso”. “É preciso que esse aprimoramento seja feito dentro de um sistema ético”, afirma Márcia Bertero, criadora paulista que introduziu o pastor australiano no Brasil. “Ouço histórias terríveis de criadores que querem um padrão de beleza e sacrificam cães que nascem fora disso. É um horror.”
Para manter as raças “puras”, alguns países e o estado americano da Califórnia têm leis que determinam a castração de animais vendidos a não-criadores. Ocorre que, em nome dessa pureza, muitos criadores apelam para o cruzamento consangüíneo – o incesto parece não ser tabu para os cães (ou pelo menos para seus criadores) – e várias doenças hereditárias vão sendo perpetuadas. Algumas raças são fadadas à catarata, à displasia ou a algum tipo de câncer.
Mas, com a decodificação do DNA dos cachorros, anunciada em 2005, e a contínua identificação de características hereditárias, tornou-se possível evitar que as doenças sejam passadas para os filhotes. Para tanto, são feitos testes que verificam que cachorros são potenciais reprodutores. Como já acontece com bois e cavalos, também foi possível identificar outras características genéticas além das doenças – para a alegria dos criadores, em sua eterna busca de um animal melhor.
O whippet com o par de genes “certo” consegue correr a mais de 50 km/h, mas com a presença de outro gene, igualmente comum, o cachorro nasce musculoso demais, um pouco gordo – e lento. Com o teste de DNA para provar essa e outras características estéticas, como a cor do pêlo, parece que finalmente o homem vai evitar o acaso da natureza e conseguir o que sempre buscou: as raças perfeitas e iguais. “As tecnologias relacionadas ao cão vêm avançando muito, a genética é manipulada em todos os níveis”, afirma Cláudio de Almeida, árbitro de competições do Kennel Club de São Paulo. “Há rações que fazem as cadelas ter mais filhotes fêmeas, por exemplo. Se houver a possibilidade de o criador ter essa tecnologia do DNA, sem dúvida há o interesse.”
E com os humanos?
Cachorros não são, obviamente, o que faz correr os rios de dinheiro investidos em pesquisa genética. Nos últimos anos, têm sido descobertos quais são os genes que provocam a predisposição humana a várias doenças, principalmente a alguns tipos de câncer e males hereditários. Será que é possível – e desejável – que usemos nas pessoas o mesmo princípio do melhoramento canino de agora? Em tese, um casal em posse desse conhecimento pode escolher o sexo ou a cor dos olhos de um filho antes da concepção.
A comunidade científica afasta a adoção da lógica do canil em famílias humanas. “Em breve o médico vai ter condição de alertar um casal que tiver o gene de uma doença e orientá-lo a não ter filho”, diz Denise de Andrade Oliveira, pesquisadora de melhoramento animal da UFMG. “Mas ainda assim a pessoa pode tomar a decisão de ter o filho ou não. Em animais você pode não acasalar, ou até matar”. Segundo a cientista, a ética na área humana é distinta. “Tem o peso da sociedade, da igreja etc.”, afirma.
Em reportagem sobre o aprimoramento genético dos whippets, o jornal americano The New York Times ouviu cientistas interessados em testar os atletas para tentar descobrir se há algo no DNA que explique pessoas supervelozes, como os cachorros. O que será feito desse conhecimento é uma incógnita. “Estamos próximos a uma mudança radical na maneira que aplicamos a genética na nossa sociedade”, disse Mark Neff, geneticista da Universidade da Califórnia. “É melhor que sejamos confrontados primeiro com os problemas quando eles envolvem nossos bichos de estimação do que quando eles dizem respeito à gente.”
Cãokenstein
Como a mão dos criadores molda as raças de cachorro

Dogo argentino
Um verdadeiro supercão de guarda. Na “receita” da raça estão o dogue alemão (para a altura), o pointer (para o bom faro), o irish wolfhound (para a rapidez) e o bóxer (para a força).

Pharaoh hound
Uma obra de arte. Pensava-se que era uma raça antiga, pois uma cabeça igual aparece em pinturas egípcias. Na verdade, criadores europeus desenvolveram a variedade só pela diversão estética.

Bloodhound
Raça criada há 1 000 anos, mistura de cães com narinas muito abertas. É a raça que tem o melhor olfato e até hoje é usada na polícia para rastrear criminosos – consegue identificar o cheiro humano mais de 4 dias depois.

Springer spaniel
É um bom exemplo de como a criação “incestuosa” pode perpetuar doenças dentro de uma raça. Esse spaniel costuma desenvolver epilepsia, hérnia de disco, displasia da retina e surdez.

Jack Russel terrier
Foi desenvolvido no século 18, com patas curtas, para caçar raposas (ele entrava na toca delas). Recentemente virou moda nos haras do Brasil, pois o cão persegue os ratos que atormentam os cavalos.

Dobermann
Um coletor de impostos alemão ficou 30 anos cruzando raças de cachorros bravos até conseguir o dobermann para intimidar os devedores. Foi usado pelos nazistas e virou sinônimo de cão assassino.

Para saber mais
Associação Cinológica do Brasil.

LINK DA MATÉRIA: Revista Super Interessante - agosto/2007

URGENTE - Dúvida Doença Whippet

Amigos, recebi esse email de uma amiga nossa, a confrade Suzuki, mamis da Stacy.. ela por sua vez recebeu um outro email (o último, mais abaixo) com uma questão séria sobre saúde de um whippet, estou repassando para todos e torcendo para que alguém tenha alguma luz.. se alguém souber de algo a respeito, nos avise, por favor.

Esse é o email que a Suzuki enviou:
"Oi, Débora, tudo bem?
Recebi o e-mail abaixo de uma amigona minha, amante de cães e nunca ouvi falar em nada assim.

A Stacy teve um "quase" hipertermia por 2 vêzes e apresentou descoordenação, tremores , dificuldade em caminhar, mas assim que a temperatura se estabilizou e ela se hidratou, tudo voltou ao normal.
Outra coisa que li a respeito é uma sindrome que dá em cães de corrida, mal treinados, que não tem condições de ser colocados na pista e são expostos ao estresse da competição, correm até não poder mais e tem uma doença horrível, aonde os musculos praticamente se liquefazem, além de outros sintomas horríveis que eu não lembro de cor porque li há bastante tempo, mas acho que eles morrem num período de tempo bem curto.


Se você souber de alguma coisa, sobre o que este cão pode ter ou puder repassar para mais pessoas, agradeço, porque a dona deve estar desesperada e não é para menos.
Obrigada. Beijinho. Suzuki "


Agora sim, esse (abaixo) é o email que fala do whippet doente, cuja dona está desesperada, pois nada é constatado em exames, leiam:

"Olá,
Seguinte, foi doado um whippet que veio direto da dona, ou seja, ele nunca ficou na rua era vacinado e super bem tratado...
Hoje ele tem 9 anos.
E está com os seguintes sintomas:
sem coordenação
infarto
coração com o músculo mole
roda em círculos
não sabe onde está (desorientação)
cai na psicina
não consegue andar para trás se ficar entre dois obstáculos

Foram feitos TODOS os exames possíveis e imagináveis, inclusive tomografia e não acusa nada.
O que precisávamos saber é se já houve outros whippets que apresentaram esses sintomas e se por acaso vcs. conhecem algum vet. que saiba o que pode ser isso ou o contato com algum canil de whippet que possa informar se isso é comum em cães dessa idade.
OBS.: ele é hiper bem tratado, com todas as vacinas, etc..etc...então não é cinomose ou sequelas de cinomose.

Qualquer luz eu agradeço pq. a dona está em pânico e não sabe mais o que fazer, ela é daqui da cidade.
Brigadão,
bjks"


Amigos, acabei de encaminhar essa questão para todos os veterinários que nos acompanham e nos ajudam com frequencia, mas se alguém souber de algo nos escreva, tudo será encaminhado para a dona do cão.

Toda ajuda é válida.

P.S.
Amigos sei que ficou um pouco confuso, só para reforçar, a Suzuki é a dona da Stacy... não é a dona do whippet doente.
Suzuki comenta que a Stacy já teve praticamente 2 quadros de hipertermia e fala de uma doença 'estranha', mas são só comentários que ela faz.. a questão principal está no último email, é o whippet de 9 anos do último email quem está doente e precisando de uma luz. A Stacy felizmente está bem, graças a Deus!

UMA DECLARAÇÃO DE AMOR

O meu é diferente. Ele é magro também, tem a cara fininha e o rabo entre as pernas. E cada espichada que ele dá são uns 8 passos meus. E as manchas pelas costas parecem o mapa mundi - o Brasil fica bem na testa. E ele não pode ouvir a minha voz, que fica com a orelha em pé. E quando eu chego da escola ele corre pra cama achando que eu já vou dormir. E tem o nome que eu teria se nascesse menino: Igor. Eu brinco que ele parece mais com o ‘i’, porque é magro e porque tem uma pinta bem no meio da cabeça. Eu sou a Aline, e amo tanto o meu Whippet, que nem sei o que seria dos meus 8 anos, dos meus fins de semana, das minhas férias, e da minha infância inteira sem ele.



Dicas de Leitura

Como a Dé deu a deixa, lá vou eu postar aqui sobre dicas de leitura pra vocês. Claro, alguns são sobre a raça da minha amada Suzie; outros, são sobre a minha paixão (ainda vou trabalhar com isso!!!): adestramento e comportamento canino/animal. Vamos lá?

Sobre Whippet, eu tenho um (comprei pela Cultura mas, me informei ainda agorinha, eles não o comercializam mais...): Whippet - Comprehensive Owner's Guide, de Juliette Cunliffe. Este livro é execelente, gostei muito dele, dá ótimas dicas (criação, comportamento, padrão, saúde, alimentação, filhotes, idosos, exercícios...). Eu tinha planejado até falar sobre ele já aqui, pode ser que eu fale mesmo, ainda mais agora que não se vende mais no Brasil (só se importar pela Amazon).

Tem um outro também, mas é uma edição mais antiga, de 10 anos atrás: Whippet - A Complete and Reliable Handbook, de Dean Keppler. Como não tenho, não posso falar muito.

Um que eu tenho vontade de ter (se alguém tiver, me empresta? rs) é: Whippets (Barron's Complete Pet Owner's Guide), de Caroline Coile.

Para quem se interessa por comportamento e adestramento, como eu, tenho uma lista dos que eu recomendo e uso (agora tenho tido menos tempo, devido ao fator Letícia, mas mesmo assim, continuo treinando a Suzie. Não podemos parar, né?!).

- It's Me Or The Dog, de Victoria Stilwell. É um livro muito bacana, ela trata de vários assuntos: ensinar a fazer as necessidades no lugar certo, exercícios, adestramento, brincadeiras, dieta, comunicação.

- 101 Dog Tricks, de Kyra Sundance. Só tem truques caninos neste livro, é excelente. Quando chove, adivinha para o que eu apelo pra exercitar a Suzie? Além disso, ensinar truques a deixa ainda mais motivada para praticar obediência (aliás, tem outros livros dela que eu estou muuuuito a fim de comprar. Mas, quem tiver, me empresta?).

- The Power of Positive Dog Training, de Patt Miller. Além de falar muito sobre adestramento positivo, sem uso de punições, tem um programa de 7 semanas para adestrar o cão. Muito bom o livro.

- Click and Easy, de Miriam Fields-Babineau. Não tem tanta parte teórica sobre o adestramento com clicker, ensina muita coisa também, além de ter várias fotos. Pra quem tem dois cães, ensina como ensiná-los ao mesmo tempo. Ainda não li todo, mas quase acabei. É mais básico, bom pra quem está começando mesmo.

- Clicker Training for Obedience, de Morgan Spector. Estou lendo esse aos poucos, e praticando também, junto com as aulas da Tudo de Cão. É impressionante como, quando ensinamos algo ao cão, mais e mais esperto ele fica e mais rápido aprende comandos e ações novas. Muito bom este livro, tem a parte teórica, onde explica tudo, tudo sobre adestramento com clicker, e a parte dos exercícios em si, muito bem explicados. Dá pra fazer muita coisa com o cão.

Tenho outros livros, mas estes são os que eu li e recomendo. Fora estes, tenho uma lista enorme de livros que eu adoraria comprar.... são eles

VELHOS AMIGOS

Lá vai o vovozinho descendo as escadas do primeiro andar, no prédio cor de abóbora onde mora desde a década de 30. Lá vai ele passear na praça em frente, a praça bonita dos ipês amarelos. Ele pega o chapéu, a bengalinha de madeira, calça as sandálias de couro velho, chama o Nestor e vão os dois. Lá fora brilha um sol brando. É outono, e o dia está ameno, bem gostoso. A praça, que fica no fim de uma estreita vilinha, foi revigorada recentemente pela prefeitura, em parceria com uma grande empresa de engenharia, que fica por lá também. Os bancos foram restaurados, a guia repintada, o tanque de areia recebeu brinquedos novos, as árvores centenárias ganharam novas vizinhas, arbustinhos, mudas de árvores frutíferas, palmeiras imperiais e outras, que dão flores alternadamente, o que, em breve, deixará a velha praça florida o ano inteiro. O Nestor adora a praça. Adora os troncos caídos. Adora os motoqueiros, que passam sempre com pressa. E adora os pombos. Especialmente quando eles se amontoam sobre o milho que o vovô esparrama. É todo o dia assim, e todo o dia eu acho graça. Fico rindo sozinho, enquanto observo da janela a amizade dos dois. Quero ficar um velhinho disposto assim, como o vovô é. Mas feliz mesmo eu ficarei se tiver um amigo como o Nestor por perto.



mais em http://www.cronicato.com.br/. estou no twitter também: www.twitter.com/cronicato

Charge de Magrelos



Essa charge recebi de uma amiga do Rio de Janeiro que possui vários galguinhos, ela viu num livro e decidiu mandar, pois como ela mesma disse "ilustra bem como é a "mentezinha" dos nossos magrelinhos".


Tudo a ver com nossos magrelos, né?
Adorei!.

Se alguém tiver mais alguma ilustração sobre nossos magrelos, indepentende da raça, publique ou mande por email confrariadosgalgos@hotmail.com

Cachorros também exigem cuidados na hora de correr

28/08/2009 - 18h55
MARINA GOMES
Colaboração para o UOL Bichos

Que tal fazer seu cachorro gastar energia e, de quebra, ainda ficar em forma? Praticar um esporte é uma ótima ideia para passar o tempo juntos. A corrida, por exemplo, tem tudo para agradar, unindo diversão e exercício.

Whippet está entre as raças preferidas por corredores, devido ao biotipo adequado

CUIDADOS NA HORA DE CORRER
Ao me ver calçar tênis, ele fica todo alegre, achando que vai correr também. A corrida nos aproximou e permitiu que fizéssemos muitos amigos”, conta a advogada carioca Flávia Callado de Paiva, 35, que leva o labrador Luck, de seis anos, para a pista da Lagoa Rodrigo de Freitas.

A presença de mascotes no atletismo está se tornando tão comum que em duas corridas da marca de roupas esportivas Track&Field foram oferecidos kits para os pets que acompanhavam os corredores. Em São Paulo e Ribeirão Preto eles ganharam camiseta em tecido tecnológico, caixa de biscoitos e garrafinha própria de água. “Saio para correr às 5h da manhã e nenhum amigo ia querer me acompanhar a essa hora. Só mesmo esses dois, que ficam felizes até em dias de chuva”, relata Bernardo Loureiro, 31, administrador de empresas de Belo Horizonte, que põe pra correr Skip, o whippet de cinco anos, e a doberman Dalila, de nove anos.

Tipos e raças
A princípio todos os cães podem correr, a menos que apresentem alguma doença que restrinja as atividades. Alguns, no entanto, têm um “dom” maior para o esporte. “As raças mais adaptadas para a corrida pertencem ao grupo dos lebreis, como whippet, greyhound, saluki e afgan hound. Estes cães são ótimos, principalmente para curtas distâncias. Cães de caça e pastoreio também têm facilidade para correr, como o border collie”, conta Dan Wroblewski, veterinário e criador da raça há 11 anos.

Em contrapartida, mesmo trotes curtos podem ser um suplício para outros cães. “Raças com muito pelo como o akita e o husky siberiano e os braquicefálicos como o bulldog e o pug podem não suportar exercícios intensos ou mais prolongados. Os primeiros devido ao excesso de pelos, que os faz sofrer com o calor, e os braquicefálicos por dificuldade na respiração, já que suas vias aéreas são muito estreitas”, explica Andreza Ávila, supervisora clínica do Hospital Veterinário Sena Madureira e mestre em Clínica Veterinária pela USP.

Normalmente o biotipo magro e de pelo curto dos vira-latas é favorável à corrida. “Durante 13 anos eu corri com a Maria Bolinha, uma vira-lata. Fizemos juntos mais de 60 corridas, inclusive quatro maratonas e mais de 20 meias-maratonas. Ela era tão famosa que várias vezes as pessoas sabiam o nome dela e não o meu”, conta Marcius Duarte, treinador de corrida da Runners Club do Rio de Janeiro. E para quem acha que a corrida faz mal ao cachorro, Duarte avisa. “Ela chegava a me acordar às 4h30 da manhã para treinar. Bolinha morreu de velhice, com 17 anos”, diz.

Começo gradual
Nenhum cão vira um maratonista da noite para o dia. Para que ele fique bem treinado e não sofra lesões, o ideal é treiná-lo entre três e cinco vezes por semana. É preciso acostumá-lo e condicioná-lo gradualmente, e tanto melhor se você também estiver iniciando um programa de treinamento, pois os dois avançarão juntos. Flávia explica os primeiros passos de Luck. “Começamos a caminhar há três anos e, aos poucos, a correr. Fiz vários exames para ver se ele estava bem. Geralmente damos uma volta na lagoa (7,5 km) três vezes por semana. Ele só não vai para meus treinos de areia e ladeiras”, conta.

Caso você já seja um corredor experiente, vá com calma. Lembre-se de quando começou e como era difícil. Tenha em mente que o objetivo da atividade é dar prazer aos dois, por isso não o force e cheque se ele está querendo diminuir a marcha ou parar, pois todo exagero pode causar lesões musculares e articulares.

Cuidados
Leandro Romano, especialista em ortopedia e doutorando em cirurgia veterinária pela USP, recomenda uma avaliação básica, composta por exame de sangue completo e cardíaco detalhado antes de pôr seu mascote para correr. “Faça uma avaliação ortopédica para investigar doenças pré-existentes ou possíveis doenças articulares degenerativas”, completa.
Cuidar da hidratação e alimentação é essencial. “Os animais podem passar mal por não conseguirem trocar calor e o corpo atingir temperaturas tão altas quanto 41ºC. Também podem desidratar e apresentar dilatação gástrica quando comem ou bebem muita água antes ou imediatamente após o exercício”, relata Andreza.

“Durante os treinos ele bebe água ou água de coco. Quando o treino é noturno, ele janta após a corrida. Nos treinos matinais ele come uma porção pequena de ração para não ir em jejum ou uma banana. Nas provas de 10 km jogo água nele, já que não dá para parar nos postos de hidratação para não prejudicar o andamento da prova e os demais atletas”, conta a dona do labrador Luck.

Veja 14 dicas abaixo:
1- Treine em horários mais frescos do dia.
2 - Dê preferência a parques e lugares tranquilos.
3 - Grama e terra batida são melhores para vocês dois: menos impacto.
4 - Mantenha-o bem hidratado: água antes, durante e depois.
5 - Não corra com “velhinhos”. Depois dos sete anos diminua o ritmo.
6 - Não corra com filhotes. Aos seis meses eles podem dar trotes curtos, mas só estão liberados depois de um ano.
7 - Use a coleira: mesmo que ele seja bem treinado, o cão ao lado pode não ser. Além disso, há o risco de atropelamento. Respeite também as outras pessoas, que podem ter medo.
8 - A coleira de pescoço pode causar trauma cervical em caso de movimento brusco: cuidado.
9 - Dê pouca comida antes do exercício.
10 - Use guias curtas, as compridas podem enroscar.
11 - Não use focinheira. Com a boca fechada, ele não conseguirá regular a temperatura corporal.
12 - Respeite o animal se ele não quiser correr.
13 - Leve uma sacola plástica caso ele faça as necessidades pelo caminho.
14 - Após as corridas, observe as almofadas das patas, veja se há sangue ou machucados

FONTE: UOL Bichos

Leia também: